Como economizar energia e reduzir o impacto da nova tarifa

  • Por Yuri Vandresen
  • Publicado um ano atrás

Na última terça-feira (31/08) a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) anunciou a criação de um novo patamar de bandeira tarifária, a bandeira de “escassez hídrica”. Motivada pela crise hídrica pela qual passa o país, a decisão gera um custo extra de R$ 14,20 para cada 100 kWh consumidos e deve vigorar de setembro de 2021 até abril de 2022.

Além disso, o Ministério de Minas e Energia anunciou que será repassado um desconto de R$ 0,50 por kWh para aqueles consumidores que pouparem entre 10% e 20% de energia elétrica nos próximos meses.

Diante desse cenário, as atitudes de redução do consumo de energia nas nossas residências se tornam ainda mais impactantes, tanto para o planeta quanto para o bolso. A Topten.eco.br separou algumas dicas de como economizar energia e ajudar a reduzir a conta no fim do mês:

  • Chuveiros elétricos: Os chuveiros estão entre os maiores consumidores de energia das casas brasileiras. Seu uso deve ser feito de forma consciente, evitando banhos longos e ajustando a temperatura de modo a gastar menos energia com a resistência elétrica.
  • Ar-condicionado: Com a chegada das estações mais quentes do ano, o uso do aparelho deve ser feito com muito cuidado, pois o consumo de energia dos ares-condicionados é bastante significativo. Dê prioridade para ventiladores e circulação natural, mas se for usar o ar-condicionado, mantenha as portas e janelas do ambiente fechadas. Se o sol bate diretamente nas janelas, faça uso das cortinas para aliviar a temperatura.
  • Geladeiras: Alguns cuidados no uso podem reduzir consideravelmente o consumo de energia das geladeiras. Não forre as estantes, não deixe roupa secar na parte traseira do aparelho, deixe a porta aberta apenas pelo tempo necessário e lembre-se de esperar a comida esfriar antes de guardar na geladeira.
  • Ferro de passar: Assim como o chuveiro, a resistência elétrica do ferro de passar é uma grande consumidora de energia. Deixe acumular mais roupas por uso e passe o ferro apenas aquelas que realmente precisam ser passadas.

Vale para todos: O uso de aparelhos mais antigos e menos eficientes pode aumentar consideravelmente a conta de luz no fim do mês. Investir na troca dos eletrodomésticos por modelos mais eficientes pode gerar um custo inicial mas no médio e longo prazo o benefício é muito maior. Confira na Topten.eco.br quais são os eletrodomésticos mais eficientes disponíveis no mercado brasileiro, além de dicas de como melhor utilizar os seus aparelhos.

Produtos em destaque

  • DAIKIN
    DAIKIN
    • Energia por mês (kWh): 13.3
    • Energia (kWh/ano): 159.6
    • Eficiência Energética (W/W): 4.32
    • Capacidade de resfriamento (Btu/h): 9000
    • Classe de eficiência energética: A
    • Potência (W): 632
  • AGRATTO
    AGRATTO
    • Energia por mês (kWh): 18.8
    • Energia (kWh/ano): 225.6
    • Eficiência Energética (W/W): 3.62
    • Capacidade de resfriamento (Btu/h): 12000
    • Classe de eficiência energética: A
    • Potência (W): 896
  • DAIKIN
    DAIKIN
    • Energia por mês (kWh): 14.3
    • Energia (kWh/ano): 171.6
    • Eficiência Energética (W/W): 3.88
    • Capacidade de resfriamento (Btu/h): 9000
    • Classe de eficiência energética: A
    • Potência (W): 583
  • SAMSUNG
    SAMSUNG
    • Energia por mês (kWh): 14.7
    • Energia (kWh/ano): 176.4
    • Eficiência Energética (W/W): 3.77
    • Capacidade de resfriamento (Btu/h): 9000
    • Classe de eficiência energética: A
    • Potência (W): 700
  • PANASONIC
    PANASONIC
    • Capacidade de resfriamento (Btu/h): 12000
    • Energia (kWh/ano): 236.4
    • Energia por mês (kWh): 19.7
    • Eficiência Energética (W/W): 3.5
    • Classe de eficiência energética: A